Cooperação com a Índia garante melhoramento genético de búfalos brasileiros

Postada em: 27/02/2019

Em janeiro, o zootecnista Guilherme Minssen, membro da Comissão do Agronegócio do Conselho Federal de Medicina Veterinária (Conagro/CFMV) e membro da comissão de educação da zootecnia do CRMV-PA, esteve na Índia junto com a comitiva oficial que visitou o país para fechar parceria que vai garantir a importação de sêmen de búfalos.

Com a cooperação entre os dois países, o estado do Pará receberá doses de sêmen de búfalos das raças Murrah e Niili Ravi para a melhoria da qualidade genética dos rebanhos paraenses. Segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), o estado concentra o maior rebanho bubalino do Brasil, ultrapassando 600 mil cabeças.

De acordo com o zootecnista, que também é diretor da Federação da Agricultura do Estado do Pará (Faepa), a parceria Brasil-Índia vai acelerar a expansão da cadeia.

“A Federação vai atuar junto aos sindicatos para fortalecer em todo o estado o Programa de Melhoramento Genético de Búfalos com Inovação para o Estado do Pará (Promebull), liderado pela Embrapa Amazônia Oriental”, garantiu Minssen.

O programa citado pelo zootecnista da Conagro é voltado para melhoria de emprego e renda da pecuária bubalina leiteira da agricultura familiar. E o interesse dos indianos se deu justamente pela ampliação do Promebull na Ilha do Marajó, região com baixos índices de desenvolvimento econômico.

Segundo a Associação Paraense de Criadores de Búfalos, atualmente a média de produção de leite no Marajó gira em torno de 2 litros/dia por vaca. Com o melhoramento genético e o manejo correto, a Associação estima que a produção poderá chegar até 14 litros/dia por animal.

Fonte:Assessoria de Comunicação CFMV, com informações da EMBRAPA.